NOTÍCIAS

Valores dos seguros de carros mais baratos

Ao adquirir um veículo é importante que o consumidor considere também alguns custos adicionais, como o valor do seguro, por exemplo, pois nem sempre o carro de preço mais baixo terá o seguro de menor valor.

A importância de esclarecer dúvidas e analisar detalhadamente os valores cobrados pelas seguradoras é ainda maior no caso dos veículos de preço mais baixo, dos carros “populares”, que são mais visados em roubos para desmanche clandestino, o que evidentemente acarreta maior cautela por parte das seguradoras e consequentemente seguros com preços mais altos em comparação com seguros de veículos de maior valor.

No entanto, é preciso lembrar que as seguradoras levam em conta também o valor do veículo, além da precificação do risco de roubos, uma vez que quanto mais caro o carro, maior será o valor da indenização.

O segredo é avaliar com atenção todos os valores envolvidos e sempre contar com boa orientação na contratação dos seguros de veículos.

Leia mais

Prevenir é melhor que remediar

Nunca é demais repetir essa antiga frase popular, principalmente quando falamos em seguros. Porque a vida também é feita de imprevistos e nem sempre estamos totalmente preparados para enfrentá-los. Os seguros existem para isso, para nos ajudar a transpor momentos difíceis – pessoais, familiares, financeiros, de saúde, enfim. A razão de ser dos seguros é justamente essa: sinônimos de prevenção e proteção.

Na realidade, o seguro é uma espécie de investimento que fazemos visando cobrir um eventual risco de perda de algum bem que nos é valioso. Ou seja, um investimento cujo retorno é a proteção contra as incertezas e riscos a que todos estamos expostos.

Atualmente é cada vez mais clara a necessidade das coberturas de seguros, em decorrência, por exemplo, dos altos índices de roubos e furtos. Os seguros, nesses casos, funcionam como proteções mais eficientes do que apenas alarmes e trancas. Daí a importância de se contar com boa corretora de seguros, que avalie com esmero as necessidades peculiares de cada segurado e a partir daí montem as propostas adequadas a cada realidade individual.

No Brasil, o mercado de seguros oferece excelentes coberturas para inúmeras eventualidades da vida moderna, desde prejuízos materiais de todos os tipos até perdas relacionadas às atividades profissionais, passando por acidentes pessoais, danos por desastres naturais e à propriedade pessoal, entre muitos outros.

Em suma, o seguro é um investimento de proteção e prevenção contra as perdas que possam vir a ser provocadas pela concretização de algum risco, uma realidade a que todos estão sujeitos.

Leia mais

Beber e dirigir é questão também jurídica

Ao conduzir seu veículo sob efeito de bebida alcoólica, além da imprudência, do ato ilícito e de expor terceiros a acidentes, o motorista embriagado incorre também no chamado agravamento de risco, pois tal conduta implica que o motorista assume o risco de causar o sinistro, o que pode levar à nulidade da cobertura securitária, situação com previsão legal no Código Civil.

A questão envolvendo seguros em casos de acidentes provocados por motoristas alcoolizados é complexa e alvo de diversas interpretações dos tribunais judiciários.

Para uma compreensão mais clara, vamos exemplificar: A lei prevê que se o indivíduo bater o carro estando sob efeito de álcool, ele perderá o direito ao seguro, isto é, a seguradora não irá arcar com a indenização, uma vez que já está comprovado cientificamente que a ingestão de álcool altera as condições físicas e psíquicas do motorista.

Ocorrerá a mesma perda do direito securitário em casos de motoristas de empresas que se envolvam em acidentes após fazerem uso de bebidas alcoólicas. E nesse caso o eventual argumento de que a empresa não tinha conhecimento do fato de seu motorista ter ingerido álcool não tem validade jurídica.

A exceção ocorrerá se o segurado comprovar que o acidente seria inevitável, independentemente de ele ter ou não ingerido álcool, como a presença de um animal na pista, por exemplo, em que não seria possível em nenhuma hipótese o motorista evitar o acidente.

Por fim, existe ainda a interpretação judicial denominada “ineficácia para terceiros”, segundo a qual os tribunais asseguram o pagamento da indenização a terceiro que tenha seu veículo danificado ao ser atingido pelo veículo do segurado, conduzido por motorista sob efeito de álcool.

Como se vê, a questão envolve múltiplos aspectos. O fundamental, entretanto, é ressaltar que os estudos científicos comprovam que um motorista sob efeito de bebida alcoólica, da mesma maneira que sob efeito de drogas ilícitas, tem seus reflexos e seu discernimento totalmente comprometidos para a condução de veículos.

Leia mais

Seguro Residencial

Entre as principais ocorrências no seguro residencial estão os Danos Elétricos e Queda de Raio.

O Brasil é o país que mais sofre com quedas de raios e segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o país recebe, em média, 100 milhões de raios por ano, sendo quase 70% com a carga positiva (mais perigosos e destrutivos).

Ao contratar o produto Seguro Residencial, a cobertura por queda de raios já está inclusa nas garantias seguradas. Porém, a cobertura referente aos danos elétricos precisa ser contratada como adicional. O acréscimo financeiro é baixo e ainda garante a tranquilidade e a segurança de que os seus bens estarão protegidos.

No entanto, qual é a diferença entre essas coberturas? Queda de raio é a cobertura específica para o local atingido por raios, enquanto a cobertura de danos elétricos refere-se aos prejuízos causados pela variação de energia – sendo ela ocasionada por raios (fora do local segurado) ou não.

 

Dicas de prevenção e segurança

– Desligue os aparelhos elétricos da tomada

– Evite o uso de chuveiro, torneira elétrica e outros eletrodomésticos, como secador e ferro de passar

– Mantenha as instalações elétricas em bom estado de conservação

– Instale proteções do tipo para-raios, principalmente em imóveis altos

– Não ande de moto, bicicleta ou outros meios de transporte abertos

– Não use celular ou dispositivos móveis como notebook e tablets ligados à tomada

– Não carregue objetos metálicos (são condutores de eletricidade)

– Se estiver na rua, procure abrigo em locais seguros

Leia mais

Infrações de trânsito podem afetar o direito ao seguro auto

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, todo ano, cerca de 1,25 milhão de pessoas perdem a vida em acidentes de trânsito. Os números são alarmantes e as principais infrações de trânsito que causam acidentes no Brasil são o excesso de velocidade, a embriaguez e o uso do celular ao volante.

Além de acidentes, multas e pontos na carteira de habilitação, a perda do direito ao seguro auto também é um grande problema causado por essas infrações. A perda de direito está prevista no Código Civil, no artigo 768: “o segurado perderá o direito à garantia se agravar intencionalmente o risco objeto do contrato”, além de citada em destaque nas Condições Gerais do Segurado.

A lei é de conhecimento de todos e, por isso, o segurado está ciente de que a infração de trânsito cometida pode causar um acidente e, consequentemente, um agravamento do risco.

Outros motivos de recusa:

Informar dados errados no perfil com o intuído de baratear o seguro.

Emprestar o carro para pessoas não habilitadas.

Premeditar o sinistro e provocá-lo de forma intencional.

Agravar o risco, ou seja, provocar acidentes, deixar o carro aberto para ser furtado, tentar ultrapassar uma via alagada.

Tentar levar vantagem com a seguradora, fraudando e agindo de má-fé.

Atraso de pagamento.

Mudanças na estrutura do veículo, como rebaixamento ou instalação de turbo.

Colisão em veículos de parentes de primeiro grau ou cônjuge.

Leia mais

Ir de carro ou bicicleta?

Na hora de se locomover é possível escolher entre diversos meios de transporte; mas você sabe qual é o mais vantajoso em cada situação? Escolher o meio de transporte mais adequado pode trazer diversas vantagens e ainda ajuda a economizar um bom dinheiro.

 

Carro

Os carros estão cada vez mais presentes nas grandes cidades, consequentemente com o trânsito cada vez mais congestionado, levando as pessoas a pensarem em usar outros meios de transporte. Confira as vantagens e desvantagens do uso do carro.

Vantagens

  • Mais comodidade e conforto
  • Possibilidade de se locomover no momento que desejar

Desvantagens

  • Emissão de poluição
  • Altos custos de manutenção
  • Maior risco de acidentes, principalmente quando se dirige cansado
  • Maior tendência ao sedentarismo

 

Bicicleta

Apesar de não parecer, a bicicleta é o meio de transporte mais comum no Brasil. É bastante utilizada nas pequenas cidades (até 50 mil habitantes) e como essas são maioria, as bicicletas se destacam.

Vantagens

  • Custo de manutenção baixíssimo
  • Permite que se pratique exercícios na ida ou volta das atividades
  • Não enfrenta congestionamento

Desvantagens

  • Não é ideal para percorrer longas distâncias
  • Nem sempre há ciclovias, o que aumenta o risco para o ciclista

 

Leia mais

Isenção de 1ª franquia

Para preservar a tranquilidade do segurado em momentos inesperados, tais como imprevistos financeiros com a franquia do seguro auto, caso o valor do conserto do veículo seja superior ao da franquia prevista na apólice do seguro, algumas seguradoras trabalham com cobertura de “isenção da 1ª franquia”. A isenção da franquia minimiza os prejuízos financeiros do sinistro e também representa um incentivo para que o condutor evite novas situações de risco.

Ao contratar essa cobertura você não precisará pagar a franquia no primeiro sinistro que ocorrer durante a vigência da apólice. Somente a partir do 2º sinistro é que a franquia deverá ser paga normalmente.

Considerando a diferença a ser paga pelo segurado e a economia gerada em caso de sinistro, podemos concluir que a contratação dessa cláusula é um investimento vantajoso para o cliente, devido ao respaldo que ela garante.

Além dessa opção, existem outras três alternativas de franquia: Básica, Ampliada e Reduzida.

Leia mais

Melhoria na contratação do seguro para pessoas com deficiência – PCD

Recentemente, diversas seguradoras mudaram suas regras sobre a responsabilidade no recolhimento dos impostos de IPI e ICMS para pessoas com deficiência (PCD) com isenção fiscal. A Porto Seguro Auto e o Itaú Seguro Auto estão entre essas companhias.

 

Como era antes

Antes da alteração do clausulado, a seguradora repassava ao consumidor-segurado a responsabilidade sobre o recolhimento dos impostos em caso de sinistro de indenização integral. O segurado era indenizado em 100%, mas como precisava recolher os impostos com recursos próprios, acabava com um saldo final muito menor em mãos.

A nova isenção só poderia ser solicitada no prazo de dois anos. Com um valor menor em mãos e sem possibilidade de nova isenção fiscal para IPI e ICMS, o segurado acabava não conseguindo adquirir um carro equivalente ao anterior.

 

Como ficou agora

Com a nova regra em casos de sinistro de indenização integral, o recolhimento dos impostos de IPI e ICMS passou a ser realizado pela seguradora, sem ônus na indenização do segurado. A responsabilidade do segurado restringe-se a providenciar as guias para que a seguradora recolha os impostos.

 

A partir de quando vale essa mudança?

Os segurados enquadrados nessa modalidade a partir de 1º de agosto de 2018 passaram a ser indenizados em 100% da tabela Fipe ou no valor determinado na apólice.

Leia mais

Apps de seguradoras oferecem até 35% de desconto no seguro do carro a bons motoristas

Novas ferramentas prometem monitorar tudo o que você faz ao dirigir e também nas redes sociais, com o intuito de avaliar se o preço que você paga pelo seguro é justo.

A equação é simples, pois junta a tecnologia de monitoramento – que utiliza o GPS e sensores do celular – e a inteligência artificial de softwares das empresas -, que conseguem reunir mais elementos do que a tradicional equação utilizada pelas seguradoras, baseada apenas em idade e endereço do motorista.

Para avaliar se um motorista dirige bem, os aplicativos registram aceleradas e freadas bruscas, curvas acentuadas e ultrapassagens de limites de velocidade, por exemplo. A cada ocorrência, o escore do motorista fica mais baixo.

O funcionamento do aplicativo é simples e está disponível para smartphones com sistema Android e iOs. Atualmente três seguradoras o disponibilizam: Trânsito+Gentil, da Seguradora Porto Seguro, o Auto.Vc, da SulAmérica e o Direção em Conta, da Liberty.

Leia mais

Segurança na Prestação de Serviços

O seguro E&O, também conhecido como Responsabilidade Civil Profissional, protege a empresa de reclamações apresentadas por perdas financeiras resultantes dos serviços prestados aos clientes.
As empresas estão expostas a diversos riscos porque atualmente o consumidor demanda um padrão de excelência cada vez maior com relação à qualidade e entrega, amparando-se em legislações rígidas quando acessa a justiça pleiteando direitos.
O Seguro E&O garante indenizações mediante acordos judiciais e/ou extrajudiciais referentes a danos materiais, morais e perdas financeiras a terceiros, consequentes de falhas profissionais da empresa relacionados à atividade profissional.

Por que adquirir?
– Questionamento e reclamações de clientes
– Exigência contratual
– Ambiente que demanda alta especialização dos profissionais

Benefícios
– Proteção do patrimônio
– Garantia de reparação do terceiro prejudicado
– Proteção da imagem da empresa

Leia mais